27.9.09

PROJECTOS | UNIDADE HOTELEIRA | PAÇOS DE FERREIRA

O presente estudo preliminar para a edificação de uma unidade hoteleira com classificação de quatro estrelas, sita em Carvalhosa, Paços de Ferreira, prevê o desenvolvimento do novo edifício numa estrutura pré-existente.
A nova construção, com área bruta de 7.560 m², desenvolve-se respeitando a estrutura e perímetro definidos pela construção actual. Foi recortado um grande jardim interior ao nível da cave a partir do qual se desenvolvem os três primeiros pisos do edifício em forma de anel. Sobre a ala sul ergue-se uma torre de quatro pisos que amplia a capacidade da unidade para 92 quartos.

24.9.09

POST IT | MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA CASAS POUCO BANAIS

A S.P.O.T. e a Fortifeio, arquitectura e derivados, juntam-se numa parceria sustentável, para organizar o workshop de "Manuais de instruções para casas pouco banais", nos dias 22, 23, 24, 28 de Outubro e 04 de Novembro.
Este workshop pretende inserir-se no âmbito dos estudos sobre a sustentabilidade na edificação e a comunicação, sendo dirigido a arquitectos, engenheiros,designers ou promotores imobiliários, sensibilizados com as questões ambientais. Apoiados na observação de um caso prático, uma habitação unifamiliar, propõe-se aos participantes a reflexão sobre regras de construção sustentável e processos de comunicação com os utilizadores finais dos edifícios por meio de um manual de instruções. Depois das fases de aprendizagem teórica e de observação de um exemplo pratico, os participantes terão, como trabalho que elaborar um
manual de instruções.
A gestão e logística é da responsabilidade da S.P.O.T. (Sociedade Portuense,Outras Tendências, lda), com colaboração e apoio à coordenação pelo grupoFortifeio ...arquitectura e derivados.
A Ordem dos Arquitectos SRN promove e divulga nos seus meios habituais esta iniciativa, assim como cede o seu espaço de formação para as sessões de apresentação teóricas e de trabalho.
Para efeitos de Admissão na Ordem dos Arquitectos, o presente Workshop equivale a 8 créditos de "Formação Obrigatória em Matérias Opcionais de Arquitectura".
Esta iniciativa conta ainda com a participação do Laboratório de Infografia da U.P., LiderA e BioBurgos.
As inscrições estão abertas até ao dia 17 de Outubro. Toda a informação está disponível em http://www.fortifeio.pt/ ou através do 938 420 801 (Joana Lima).

17.9.09

POST IT | O DESENHO EM RESERVA

Rui Neto, autor de 'Interstícios Urbanos' em exposição na Galeria ASVS, participa na exposição colectiva 'O desenho em Reserva' a decorrer na Biblioteca do Fundo Antigo, Edifício da Reitoria da Universidade do Porto, entre os dias 17 de Setembro e 15 de Outubro.



O DESENHO
EM RESERVA

Em 1881, durante a sua permanência em Paris, Henrique Pousão realizou uma academia de um modelo negro sentado, que deixou incompleta. O desenho que hoje vemos na colecção da FBAUP parece mergulhar-nos no carácter privado das fases da sua realização: a cabeça e o torso perfeitamente modelados em carvão com o esfuminho, enquanto as pernas quase não existem, a não ser pela breve anotação dos contornos que foram espanejados para retirar o carvão em excesso, à espera da imagem prevista.
A imposição da folha de papel e a força cromática do branco, em oposição ao traço negro do desenho, cria o efeito visual de uma ausência relativa, marcada pela recordação ou pela expectativa. A este espaço de inacabamento e antecipação, que parece marcar a própria natureza do desenho, chama-se reserva.
Como outros termos que usamos para nomear o desenho — arrependimento, por exemplo — também este é um termo confiscado de um contexto normativo. Reserva, na acepção jurídica da palavra, significa "pôr à parte num contrato um direito que não se quer exercer de imediato, mas que pode ser reivindicado mais tarde". No desenho, a reserva identifica a manipulação deliberada dos espaços vazios da imagem, adiando para mais tarde o seu preenchimento e a sua conclusão; é a suspensão de um gesto que conserva o espaço para eventuais alterações.
Para além da acepção mais pragmática que pode ter — evidente, por exemplo, nas práticas da gravura e da estampagem — a reserva é também um modo de expressão. As imagens e os espaços mudos da reserva traduzem a vontade deliberada de não terminar; mas são também as estratégias de uma retórica visual que, mediante a elipse da imagem, permitem que as coisas estejam sem estar, sejam ditas sem ser pronunciadas, se mostrem sem ser mostradas.
Esta exposição, inserida nas comemorações dos 150 anos do nascimento de Henrique Pousão, propõe um percurso interrogativo sobre as definições, apropriações e usos da reserva nas práticas contemporâneas do desenho. Organizada a partir de trabalhos desenvolvidos durante as últimas edições dos mestrados de desenho da FBAUP, «Desenho em reserva» apresenta-se no duplo propósito que esteve na sua origem: por um lado, explorar o campo semântico da reserva no exercício expandido do desenho, uma exploração eminentemente prática, informada pelo percurso artístico de cada autor, e cujos resultados se comunicam enquanto objecto visual; por outro lado, propor uma reflexão aberta e consequente sobre a convergência e os conflitos entre a prática artística e os espaços da investigação.

Paulo Luís Almeida

16.9.09

EXPOSIÇÃO | JÁ DESENHASTE A TUA CASA?

Inaugura no próximo dia 19 de Setembro a exposição dos trabalhos realizados no workshop ‘Já desenhaste a tua casa?’, realizado no passado dia 29 de Agosto na Sala do Conto da Biblioteca Municipal Almeida Garrett. Os trabalhos dos pequenos arquitectos ficarão expostos até ao dia 3 de Outubro.
A inauguração contará ainda com a entrega de diplomas a todos os participantes: Beatriz Barbosa, Maria Fontes, Tomás Fontes, Raquel Félix, Manuel Félix, Inês Cruz, Afonso Oliveira, Francisco Silvestre aka Loke F., Sofia Pereira, Maria Luís Coelho, Inês Cunha, Rita Pais, Sofia Fonseca e Mariana Fonseca.
[Galeria ASVS, Sábado 19 Set. 14.30h, Rua de Santa Catarina, 678, 4000-446 Porto]

OBRA CONCLUÍDA | IGREJA DA ENCARNAÇÃO | MADEIRA


O projecto equaciona a reformulação de toda a área presbiterial da Igreja da Encarnação, Estreito de Cãmara de Lobos, Madeira, nomeadamente a distribuição e concepção do mobiliário litúrgico, tomando por base as diversas características simbólicas e funcionais destes elementos no decorrer das celebrações no espaço religioso.
A concepção do mobiliário litúrgico nasce a partir do estudo particular do Sacrário, peça de simbologia excepcional, dedicada ao Santíssimo Sacramento, que representa a presença de Cristo como o alimento da humanidade. O sacrário ergue-se sobre o eixo principal do presbitério destacando-se dos demais elementos pela sua verticalidade. A partir de um pedestal com oitenta centímetros de altura executado em cantaria típica da região, ergue-se o cofre da sagrada reserva, uma peça em bronze, desenhada a partir da estilização de uma espiga de trigo, que representa simbolicamente o pão enquanto alimento primordial. Optou-se por desenvolver uma estrutura simples e delicada num metal nobre que conferisse o carácter e dignidade que a simbologia exige.
No sentido de conferir coerência e unidade ao conjunto, optou-se por utilizar a mesma estrutura de bronze nas restantes peças litúrgicas, adequando-a às diferentes necessidades funcionais: no ambão como apoio das sagradas escrituras, no sírio pascal como elemento de elevação da chama, nos pedestais como elemento de suporte das estátuas do quadro da Anunciação e no costado da cadeira como símbolo de presidência.
Em resumo, o conjunto apresenta-se como se todos os elementos nascessem do pavimento de cantaria, com a execução dos pedestais de formas geométricas puras no mesmo material, sobre os quais pousam diferentes estruturas em bronze, de desenho leve e delicado, que conferem função e simbolismo às peças.
Na abside do presbitério foram desenhados três grandes janelões que compõem um tríptico em vitral dedicado a Nossa Senhora da Encarnação com o tema da Anunciação. O tríptico, inspirado nas pinturas renascentista de Fra Angelico, é composto pelas figuras do Anjo Gabriel, de Nossa Senhora e do Espírito Santo, representado por uma pomba branca que, pela luz, abençoa a mãe de Cristo.