29.6.09

POST IT | REFÉNS | TEATRO BRUTO


Até onde poderemos esticar as convicções? É a pergunta que fica quando assistimos à última produção do Teatro Bruto. Consciência versus Sobrevivência, Civilização versus Barbárie, são alguns dos paradigmas que Daniel Jonas (autor) coloca nos personagens atormentados de 'Reféns'.
A peça trouxe-me à memória 'Se isto é um homem' de Primo Levi. Na adversidade, quase tudo que é tido como certo parece desagrupar-se num mar de incongruências e sentimentos contraditórios. Bacigaluppi provavelmente terá tido pensamentos idênticos ao judeu que disse a Levi "Lavar o rosto todas as manhãs, mesmo sem água e sem sabão, é a única maneira de me manter humano". Lenore, a activista política de 'Reféns', baixa pelo afecto o preço da honra; cabe-nos a nós imaginar com que consequências.
Para ver na Fábrica Social / Fundação José Rodrigues. Encenação de Ana Luena com Mário Santos, Pedro Mendonça e Silvia Silva.

IMAGEM: ANA PEREIRA
+ INFO: ÍPSILON

Sem comentários: